sábado, 8 de outubro de 2011

Sugestão de Atividade 9º ano: Ditadura Civil-Militar brasileira


PUCMG - 2006
"BRASIL, AME-O OU DEIXE-O."
Esse slogan, amplamente divulgado e propagado no auge do período da ditadura militar, criava um clima de ufanismo para:
a) anunciar à população brasileira o firme propósito  do governo de promover a distensão política, assim que todos  os comunistas deixassem o País.
b) justificar a nova postura dos militares para atrair o apoio da opinião pública contrária ao regime autoritário, abrindo caminho para o processo de abertura política.
c) abrandar os rigores do autoritarismo, permitindo que todos os insatisfeitos com o regime militar abandonassem espontaneamente o País.
d) demonstrar a profunda intolerância do governo com os setores do movimento de oposição, que optaram pela luta armada contra o regime.

PUCMG - 2006
A presença dos militares na vida política brasileira pode ser vista em duas dimensões: na primeira, esses atores políticos assumem o papel arbitral-tutelar na condução das questões de Estado e, na segunda, assumem o papel de dirigentes hegemônicos da coisa pública.
A dimensão arbitral-tutelar NÃO está presente:
a) no Movimento de 1930, que, sob o comando de Vargas, derruba do poder a oligarquia cafeeira.
b) no Golpe civil-militar, que depôs o Governo Constitucional do Presidente João Goulart.
c) na queda do estadonovismo, abrindo o País para o processo de redemocratização.
d) na garantia de posse de Juscelino Kubitschek sob ameaça de um golpe de Estado.

FATEC - 2006
No dia 13 de dezembro de 1968, o governo brasileiro baixou o Ato Institucional nŽ 5 (AI - 5). Em fevereiro de 1969, surgiu o decreto-lei nŽ 477.
O governo, com estas duas medidas jurídicas, pretendia
a) anistiar os envolvidos com a guerrilha do Araguaia e iniciar um período de distensão política.
b) consolidar as reformas iniciadas pelo vice-presidente Pedro Aleixo, permitindo, respectivamente, o funcionamento dos partidos políticos e das entidades estudantis.
c) institucionalizar a repressão, suspendendo as garantias constitucionais e individuais, e afastar das universidades brasileiras os elementos considerados subversivos.
d) isolar os generais que defendiam um endurecimento do regime militar e preparar o país para a "abertura política" realizada pelo presidente Emílio Garrastazu Médici.
e) acabar com a guerrilha do Bico do Papagaio (AI - 5) e impedir a votação da Lei de Anistia proposta pela Arena em agosto de 1968.

Leia este texto:

"Pegaram alguns?", perguntou Geisel.
UFG - 2006
"Pegamos. Pegamos. Foram pegos quatro argentinos e três chilenos", respondeu Pedrozo.
"E não liquidaram, não?"
"Ah, já, há muito tempo. É o problema, não é? Tem elemento que não adianta deixar vivo, aprontando. Infelizmente, é o tipo de guerra suja em que, se não se lutar com as mesmas armas deles, se perde. Eles não têm o mínimo escrúpulo."
"É, o que tem que fazer é que tem que nessa hora agir com muita inteligência, para não ficar vestígio nessa coisa", falou Geisel. (GASPARI, Elio. "A ditadura derrotada". São Paulo: Companhia das Letras, 2003. p. 387.)
O diálogo, mantido em 1974, atesta a aplicação e a especificidade das práticas repressivas utilizadas pelo governo brasileiro, ao sugerir a
a) proibição da entrada, no Brasil, de estrangeiros que pudessem comprometer a estabilidade do regime governamental.
b) contenção dos partidos e das facções que preparavam a organização de guerrilhas urbanas e ações terroristas contra o governo militar.
c) defesa dos interesses nacionais, ameaçados por uma guerra civil travada silenciosamente, graças à censura aos meios de comunicação.
d) adoção de uma estratégia de extermínio pela ditadura militar, consentida pelo chefe do Estado brasileiro.
e) intolerância das forças armadas em relação ao avanço das forças políticas comprometidas com o restabelecimento do regime democrático.

Unicamp - 2005
Em 1970, o Brasil se consagrou tri-campeão mundial de futebol, quando se cantava:
Noventa milhões em ação,
pra frente, Brasil
do meu coração. (...)
Salve a seleção.
Falava-se de um "Brasil Grande", "Brasil Potência", e distribuíam-se adesivos com a inscrição "Brasil, ame-o ou deixe-o". Com bandeiras do Brasil na mão, cantavase repetidamente "Este é um país que vai pra frente". (Adaptado de Elio Gaspari, "A ditadura escancarada". São Paulo: Companhia das Letras, 2002, p. 207-8).
a) Relacione slogans como "Esse é um país que vai pra frente" com o chamado "milagre econômico".
______________________________________________________________________________________________________________________________
b) Relacione o slogan "Ame-o ou deixe-o" com a repressão do regime militar instaurado em 1964.
______________________________________________________________________________________________________________________________
c) Cite e caracterize um movimento de oposição ao regime militar.
______________________________________________________________________________________________________________________________



UFRRJ - 2005
Leia o texto a seguir e responda à questão.
Hoje você é quem manda
Falou tá falado
Não tem discussão
A minha gente hoje anda
Falando de lado
E olhando pro chão, viu
Você que inventou esse estado
Inventou de inventar
Toda a escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar
O perdão
(...) HOLANDA, Chico Buarque de. Apesar de você. In: Mary del Priore et al. "Documentos de História do Brasil: de Cabral aos anos 90." São Paulo: Scipione, 1997. p. 114-115.
No Brasil, após o Golpe Militar de 1964, a vida brasileira modificou-se substancialmente em diversos setores.
a) Exponha o tratamento dispensado pelo regime militar à oposição com a edição do Ato Institucional nŽ 2 (27/10/1965).
______________________________________________________________________________________________________________________________
b) Cite duas medidas econômicas dos governos militares específicas do período chamado "milagre econômico brasileiro" (1968/1973).
______________________________________________________________________________________________________________________________

UERJ - 2005
PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DAS FLORES
Caminhando e cantando,
E seguindo a canção
Somos todos iguais,
Braços dados ou não.
Nas escolas, nas ruas,
Campos e construções,
Caminhando e cantando,
E seguindo a canção.
            Geraldo Vandré
A letra desta música foi escrita no contexto do regime militar, iniciado com o Golpe de 1964.
Uma das medidas políticas reveladora do caráter autoritário desse regime está apresentada, corretamente, em:
a) instituição do AI NŽ 2, extinguindo os partidos políticos existentes
b) promulgação da Constituição de 1967, abolindo a divisão de poderes
c) supressão do Poder Legislativo, gerando a institucionalização da ditadura
d) criação da Lei de Imprensa, impondo a estatização dos meios de comunicação


PUCMG - 2003
Podem ser apontadas como características do período da ditadura militar no Brasil (1964-1974), EXCETO:
a) a implantação da ideologia do combate ao "inimigo interno".
b) a decretação de Atos Institucionais que visavam garantir o "status quo".
c) a melhoria de vida da população com o plano econômico "milagre brasileiro".
d) a construção de obras monumentais, como a Transamazônica e a ponte Rio-Niterói.

UFAL - 1999
Com o Golpe de Estado de 1964, o Brasil passou a ser governado por militares. Alguns presidentes do período 1964-1985 foram:
a) Washington Luís, Getúlio Vargas e Eurico Gaspar Dutra.
b) Marechal Hermes da Fonseca, Marechal Floriano Peixoto e Rodrigues Alves.
c) João Goulart, José Sarney e Fernando Collor.
d) Marechal Deodoro da Fonseca, Prudente de Morais e Campos Sales.
e) Costa e Silva, Emílio Garrastazu Médici e Ernesto Geisel.

UFLAVRAS - 2000
Os governos militares que integraram o período do Regime Militar no Brasil (1964-1985) foram caracterizados por ações distintas. Assim, o início do período que se convencionou chamar de "milagre econômico" e a consolidação da chamada "abertura política" se deram, respectivamente, nos governos
a) Geisel e José Sarney.
b) Médici e João Figueiredo.
c) Castelo Branco e Junta Militar.
d) Costa e Silva e Médici.
e) João Figueiredo e Castelo Branco.

PUCMG - 1999
A campanha das "Diretas-já" (1984) é considerada um marco na história política do Brasil, porque, EXCETO:
a) mobilizou milhares de cidadãos nos grandes comícios.
b) obteve ampla cobertura da imprensa, escrita e televisionada.
c) contou com o apoio das Forças Armadas e das elites conservadoras.
d) constituiu-se numa união suprapartidária.
e) representou uma etapa importante no processo de democratização.

Mackenzie - 1998
"Quem manda agora não são os políticos profissionais, nem o Congresso, é uma instância decisória importante. Mandam a alta cúpula militar, os órgãos de informação e repressão, a burocracia técnica de Estado (...) O regime pôs fim ao populismo." Boris Fausto
O texto caracteriza uma fase histórica brasileira. Identifique-a nas alternativas a seguir.
a) Estado Novo
b) República Nova
c) Governos militares entre 1964 e 1985
d) República Oligárquica
e) República da Espada
FUVEST - 1997
A vitória do Brasil na Copa do Mundo de 1970
a) não teve qualquer repercussão no campo político, por se tratar de um acontecimento estritamente esportivo.
b) alentou o trabalho das oposições que deram destaque à capacidade do povo brasileiro de realizar grandes proezas.
c) propiciou uma operação de propaganda do governo Médici, tentando associar a conquista ao regime autoritário.
d) favoreceu o projeto de abertura do general Geisel, ao criar um clima de otimismo pelas realizações do governo.
e) alcançou repercussão muito limitada, pois os meios de comunicação não tinham a eficácia que têm hoje.

FAAP - 1996
Um golpe de Estado interrompeu o mandato presidencial de:
a) Juscelino Kubitscheck
b) Costa e Silva
c) João Goulart
d) Emílio Médici
e) Ernesto Geisel

FAAP - 1996
A morte interrompeu o mandato presidencial de:
a) Juscelino Kubitscheck
b) Jânio Quadros
c) João Goulart
d) Castelo Branco
e) Costa e Silva


















“A arte de ser louco é jamais cometer a loucura de ser um sujeito normal”
(Raul Seixas)

4 comentários:

Professor Crispim disse...

Queria por favor a resposta da atividade de História para todos: Sugestçoes de atividade para o 9ºano Ditadura Civil datado do dia 08/10/2011.

História além dos livros disse...

FDS qndo eu tiver um tempinho faço o gabarito! eu imprimi e entreguei aos alunos e fui corrigindo com eles! por isso não postei o gabarito!

abraço!

Professor Crispim disse...

Obrigado pela resposta, mas queria quanto mais rápido o gabarito, pois tenho que corrigir todo o trabalho correto e fazer comentários e correção. Por favor, agradece Maurício Crispim Bezerra Filho, professor de História e GEografia da E.E.F. Nossa Senhora das Graças do município de Pereiro-Ceará. Grato.

História além dos livros disse...

Vamos lá:
ta na ordem das questões, como não coloquei número escrevo de onde é a questão:
PUC 2006 - d
PUC 2006 - B
fatec - C
ufg - A
uNICAMP - 2005
A) o TEXTO SE REFERE AO CRESCIMENTO DA ECONOMIA BRASILEIRA DURANTE O GOVERNO DE mÉDICI
b) O texto diz que para ficar no país dever-se-ia aceitar as imposições do regime ditatorial
c)música de protesto: pois discutiam e criticavam as ações dos governos ditatoriais

UFRRJ - 2005
a) Fim da diversidade política e a pluralidade de pensamentos políticos
b) Empréstimos e Empresas Estrangeiras alimentando a economia brasileira

UERJ - a
PUC - c
UFAL - e
Uflavras - b
puc - c
mackenzie - c
fuvest - c
FAAP - c
faap - e