segunda-feira, 6 de agosto de 2012

ESCRAVIDÃO NO BRASIL: EXERCÍCIOS


01. A descoberta de novas terras por navegadores portugueses e espanhóis alimentou a imaginação dos europeus e fomentou uma visão paradisíaca do Novo Mundo. Com respeito a essa “visão do paraíso” nos trópicos, é correto afirmar:

a) Os europeus esperavam encontrar monstros e outras entidades mitológicas, o que se confirmou na presença de animais pré-históricos e seres humanos estranhos.

b) Os temores com relação ao inesperado levaram muitas vezes os europeus a demonstrar uma violência desumana contra os nativos do chamado Novo Mundo.

c) As descrições dos novos territórios, com suas florestas exuberantes e seus pássaros exóticos, vinham confirmar as expectativas de descoberta do Paraíso na Terra.

d) O encontro com seres de uma nova cultura, em um ambiente natural diferente, criou um clima propício ao entendimento mútuo e ao respeito pela vida humana, como era pregado pelos religiosos europeus.

e) Os primeiros colonizadores europeus ficaram maravilhados com a cultura indígena a ponto de sofrerem influência direta dos valores nativos.


02. Pero Vaz de Caminha, em sua carta ao rei D. Manoel, ressaltava que a salvação dos índios era a mais imediata contribuição à terra. Algumas décadas depois, o ensino colonial desenvolvia-se fortemente influenciado pela cultura religiosa do colonizador. Sobre os primeiros educadores da fase colonial, é correto afirmar que eles:

a) Conseguiram dissociar a evangelização do processo colonizador luso-brasileiro.
b) Permaneceram alheios ou indiferentes aos abusos praticados pelos senhores de escravos.
c) Presos às idéias etnocêntricas européias, ignoraram as línguas indígenas.
d) Pretenderam espalhar a fé, tomando novos súditos tementes a Deus e obedientes ao rei.
e) Tinham por objetivo promover à Igreja Católica, mantendo intacta a cultura indígena.


03. Os senhores poucos, os escravos muitos; os senhores rompendo galas, os escravos despidos e nus, os senhores banqueteando, os escravos perecendo à fome...
Estas palavras, do padre Antônio Vieira, descrevem bem a situação da sociedade colonial à época do apogeu açucareiro. A respeito, considere as afirmativas:

I. Os senhores eram os donos dos engenhos e da riqueza neles gerada; logo, podiam comer bem e vestir-se
luxuosamente.

II. Os escravos eram uma propriedade dos senhores, como qualquer outro objeto de sua lavoura e de seu engenho, não precisando de roupas e comendo apenas o mínimo necessário.

III. A Igreja Católica, inclusive os padres da Companhia de Jesus, admitiu em geral a escravidão africana, embora tenha combatido com coragem e tenacidade a escravização do indígena.

IV. A minoria dos senhores de terras e escravos temia as ações dos jesuítas, tal como haviam feito os holandeses em Pernambuco, em prol da libertação dos escravos dos engenhos e plantações.

Assinale:

a) Se somente as alternativas I e II estão corretas.
b) Se somente as alternativas II e III estão corretas.
c) Se somente as alternativas I, II e II estão corretas.
d) Se somente as alternativas II, III e IV estão corretas.
e) Se todas as alternativas estão corretas.


04. As expedições chamadas de Entradas e Bandeiras tinham como objetivo a procura de riquezas minerais e/ou a caça ao índio, para escraviza-lo e vende-lo no litoral. O papel das Entradas e Bandeiras pode ser assim resumido:

a) Determinam a ocupação efetiva do interior do Brasil e deram ao nosso país sua atual configuração geográfica.

b) Contribuíram para a implantação de uma nova política colonizadora, aproximando índios e colonos.

c) Iniciaram aproveitamento verdadeiro das terras agrícolas do oeste mudando a situação econômica da Colônia.

d) Por razões políticas e econômicas, contribuíram para a mudança da capital do Vice-Reino, do Rio de Janeiro para a Bahia.

e) Respeitaram o Meridiano de Tordesilhas, evitando, assim, conflitos armados entre portugueses e espanhóis.


05. O comércio das colônias espanholas, desde o início do século XVI, esteve subordinado a severas restrições, garantindo o monopólio e evitando o contrabando. Dentro desse quadro, foi adotando o sistema de porto único, que:

a) Garantia grande controle sobre as colônias, pois apenas o porto de Vera Cruz, no México, podia fazer transações comerciais com a Metrópole.

b) Conseguiu evitar o contrabando de metais preciosos, resguardando a riqueza colonial do ataque de piratas.

c) Permitiu grande desenvolvimento de Buenos Aires, responsável pelo escoamento da produção de prata da América do Sul.

d) Fez com que a Espanha mantivesse todo o território americano unido, constituindo uma imensa colônia.

e) Centralizou o comércio metropolitano em Sevilha, de onde partiam as frotas anuais para algumas regiões da América.


06. À medida que a empresa açucareira se expandia no Brasil, fez-se opção pela mão-de-obra escrava de origem africana, em substituição ao trabalho indígena. Esta opção pode ser explicada, porque:

a) O uso de escravos africanos alimenta o tráfico negreiro, tornando-o um dos mais lucrativos setores do comércio colonial.

b) Os indígenas eram selvagens e lutavam contra a escravidão, enquanto os negros eram dóceis e submissos.

c) Os indígenas eram frágeis fisicamente e adoeciam com facilidade, já os negros tinham uma constituição física forte, propícia ao trabalho braçal.

d) Os negros dominavam as técnicas do cultivo da cana, enquanto os indígenas não conheciam a agricultura, portanto, seu trabalho não era produtivo.

e) Os africanos resistiram ao escravismo através dos quilombos e das revoltas, mas foram mantidos na agricultura, porque os índios desconheciam essa atividade.

                    
07. As leis portuguesas do século XVI são dúbias com relação aos indígenas, proíbem a escravização do indígena, mas ao mesmo tempo abrem essa possibilidade em caso de “guerra justa”. Para os portugueses “guerra justa” significava:

a) A utilização da força para que esses povos pudessem participar do reino dos céus.
b) Aquela no qual o indígena tomava a iniciativa de agressão contra o branco.
c) O aprisionamento devido à necessidade vital de mão-de-obra.
d) A ação missionária do jesuíta para ensinar os valores da sociedade branca.
e) O uso da violência na formação dos aldeamentos, evitando a ação dos jesuítas.


08. Os donatários recebiam lotes em caráter hereditário, indivisíveis e inalienáveis no todo ou em parte. Vale dizer que o Estado concedia apenas a posse da terra, reservando para si a propriedade dela. As capitanias eram:

a) Porções territoriais na Colônia, cujo comércio era monopolizado pelo donatário, criando uma elite mercantil no Brasil.

b) Regiões doadas pelo rei a seus amigos, porém obrigados a produzir açúcar durante dez anos para garantirem a propriedade da terra.

c) Territórios coloniais controlados pela Metrópole através de funcionários especiais, os donatários.

d) Reflexo da incapacidade econômica da Coroa em promover diretamente a colonização, transferindo esse ônus à iniciativa privada.

e) Os elementos que permitiram a consolidação da aliança entre o rei e a burguesia, iniciada com a expansão marítima.


09. A organização do engenho exigia a utilização de numerosos trabalhadores na produção açucareira, estimulando a escravidão, já adotada por Portugal nas Ilhas Atlânticas, e que representava:

a) a efetivação do sistema capitalista na periferia do sistema colonial, fundamental para a acumulação de riquezas.

b) um grande retrocesso para Portugal, que desde o Renascimento Humanista havia abolido a escravidão de seus territórios.

c) uma contradição, pois nos países europeus desenvolvia-se a mentalidade liberal, antiescravista.

d) um choque com a Igreja Católica, contrária qualquer forma de escravidão, por considerar que todos são filhos de Deus.

e) a retomada do escravismo antigo, tal como no Império Romano, em que o escravo era utilizado em atividades variadas.


10. Na época da moagem de cana, os escravos trabalhavam dia e noite nos engenhos, em turnos, proporcionando grandes lucros aos proprietários. Para os escravos esse ritmo de trabalho era massacrante e em geral sobreviviam cerca oito anos nesse regime. A partir do texto e de seus conhecimentos é correto:

a) Durante a fase colonial, houve fugas de escravos dos engenhos e a formação, no sertão brasileiro, de mocambos que se transformaram em quilombos.

b) Tal situação determinou a ação dos latifundiários, no sentido de organizar expedições para o aprimoramento de indígenas.

c) O barateamento do preço de escravos, uma vez que a compra por parte dos latifundiários tendeu a aumentar.

d) Essa situação somente ocorreu no período de ocupação holandesa, pois a necessidade de manter os lucros e os gastos militares sobrecarregava os escravos.

e) Implementou-se no Brasil Colônia um sistema produtivo semelhante ao existente nas indústrias européias, onde o operário é superexplorado.

Um comentário:

História para Todos disse...

Resolução:

01. B 02. D 03. E 04. A
05. E 06. A 07. B 08. D
09. A 10. A