sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

A Formação da Europa medieval

A Formação da Europa medieval

Após a ruralização do Império Romano e a estrutura formada devido ao sistema de colonato o continente europeu se viu entrando numa fase que se caracterizaria pela grande influencia da Igreja Católica e o poder dos Senhores Feudais herdeiros dos patrícios romanos e suas grandes extensões de terras. A sociedade feudal foi se estabelecendo a partir da miscigenação cultural entre os povos germânicos e os romanos e dessa absorção de culturas surgiu o Sistema feudal ou feudalismo. Os chefes políticos (reis) da dinastia de Meroveu criaram um campo político de alianças e conquistas militares e assim Pepino, o Breve pudesse finalmente se tornar rei dos Francos, aliando-se a Igreja Católica e criando os Estados papais.
Ao fim da dinastia merovíngia subiu ao trono outro grande personagem do período da Alta Idade Média: Carlos Magno. A dinastia carolíngia além das conquistas militares e políticas a relação de Suserania e Vassalagem se estabeleceu fortemente na Europa, porém foi nessa dinastia carolíngia após a morte de Carlos Magno que o sistema feudal ganhou as características que ainda vemos em alguns filmes sobre o período no qual o senhor feudal manda em seu feudo (propriedade de terra), o plebeu trabalho nos mansos servis e senhoril e a Igreja Católica comanda as ações humanas ditando as regras da sociedade em vários campos como, por exemplo, a cultura, religião, lazer, política, administração, etc.
O período feudal é riquíssimo na análise da política, comportamento da sociedade, influência da religião na vida cotidiana, as relações de trabalho, porém não podemos esquecer que foi um período em que a agricultura não se desenvolveu tanto quanto em outras épocas anteriores a Idade Média e que o fanatismo religioso exagerou, segunda a ótica atual, na condenação e execução de criminosos com relação religiosa.
Esses aspectos citados fazem parte de um grande conjunto de características que juntas formam a história de uma sociedade que buscava a auto-suficiência em seus feudos primeiramente por medo das guerras, que tinham a religião católica como base de sua vida e era uma sociedade que se espelhou no Império Romano em muitos aspectos inclusive na inexistente mobilidade social onde a pessoa era definida pela família em que nasceu.


Por: Professor Eliphas Bruno

Nenhum comentário: